O panorama atual para empresários com investimentos no Centro Histórico de Penedo é ruim, segundo informações passadas ao Vereador Nelsinho (Antônio Nélson Oliveira de Azevedo Filho). Lojas fechadas e perspectivas desanimadoras formam o quadro descrito pelo Parlamentar que considera “desnecessária” a obra de drenagem das águas das chuvas, intervenção em curso que causa mais transtornos ao já deficitário centro comercial penedense.

“Quando foi que houve alagamento por chuvas nas lojas do centro de Penedo?”, questionou durante a sessão parlamentar realizada nesta quarta-feira, 06 de abril, referindo-se ao período recente da história da Cidade dos Sobrados. Nelsinho criticou a autorização da Prefeitura para a realização dos serviços pelo Iphan, reclamando ainda que a Secretaria Municipal de Industria e Comércio não tem planejamento para ‘aquecer’ o comércio local.

Ele ressaltou que a crise no setor mencionado é resultado de um “conjunto de causas”, falando ainda da sua preocupação com a possibilidade real de mais lojas fechadas e aumento de desemprego no município. Além disso, afirma que serão necessárias novas intervenções no Centro Histórico porque o sistema de esgotamento sanitário está incompleto.

Outro ponto destacado em seu discurso foi o que chamou de “silêncio dos inocentes”, referindo-se ao posicionamento atual do Prefeito e do Vice Prefeito de Penedo em relação à retirada de gás natural do city-gate de Penedo para Arapiraca.

Quando o projeto da Algás foi apresentado em Penedo durante audiência pública, na gestão passada, Március Beltrão declarou que iria fazer o possível para impedir a viabilização da obra, conforme já mencionou em outras sessões. Nelsinho voltou a lembrar também que Ronaldo Lopes concedeu entrevista na Penedo FM, explicando que haveria perda de pressão no ponto de distribuição de gás instalado em Penedo, reduzindo o poder de oferta no nosso município.