O superintendente em Alagoas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), arquiteto Mário Aloísio Barreto Melo, esteve nesta quinta-feira, 14 de maio, Câmara Municipal de Penedo (CMP) para esclarecer dúvidas dos vereadores sobre as obras no Centro Histórico da Cidade dos Sobrados.

Acompanhado pelo Secretário Municipal de Infraestrutura e Obras (Seinfro), engenheiro Valmir Lessa, e da arquiteta Gardênia Nascimento – contratada pelo Iphan para acompanhar as obras do PAC Cidades Históricas em Penedo e Marechal Deodoro –, Mário Aloisio abriu a exposição destacando o papel fiscalizador da população penedense e o interesse dos parlamentares sobre a necessidade transparência no desenvolvimento dos serviços.

O superintendente do Iphan fez uma breve exposição sobre o incremento que a economia do município deve obter com a instalação de uma marina na antiga fábrica de sabão do Bairro Santo Antônio (Barro Vermelho), importante suporte para desenvolvimento do turismo náutico, e a transformação do Centro Histórico de Penedo em um “centro de convenções a céu aberto”, projetos relacionados à Requalificação do Largo de São Gonçalo.

Dúvidas
A mais recente intervenção de grande porte no centro comercial e orla ribeirinha de Penedo, bancada com recurso públicos, gerou dúvidas na cidade. Será preciso reabrir ruas, num futuro próximo, para instalar rede de esgoto, causando mais transtornos e necessidade de mais verba? Penedo já dispõe de sistema tratamento de dejetos funcionando? As obras em curso também contemplam ligação domiciliar com a rede de saneamento?

Segundo o que foi exposto aos vereadores, a rede já instalada na parte baixa está incompleta, com ausência de trechos que alcançam 50, 60 metros. A falta de tubulação em pontos que “ligam nada a lugar algum’, expressão empregada para denunciar a irregularidade, será corrigida, segundo informou o engenheiro Valmir Lessa, gestor da Seinfro.

Ele também disse que será preciso fazer uma ‘ligação’ entre a rede de saneamento da área em obras com o sistema de tratamento que opera em fase de teste, reforçando o que foi dito pelo Vice-Prefeito Ronaldo Lopes durante audiência pública realizada em 25 de fevereiro. Sobre a intervenção feita na gestão passada, não houve instalação rede de drenagem, daí a ocorrência de alagamento na Praça 12 de Abril em maio de 2012, conforme frisou Valmir Lessa.

Fiscalização
Sobre a responsabilidade de fiscalizar a obra, o representante do Iphan admitiu escassez de pessoal e até o impacto da responsabilidade passada ao órgão de defesa do patrimônio com as mudanças implantadas pelo governo federal. A Prefeitura de Penedo mantém o engenheiro Ivo Costa no acompanhamento dos serviços, profissional em contato permanente com a arquiteta contratada pelo Iphan.

Gardência Nascimento mostrou fases do projeto, o que já foi feito, o que ainda resta por fazer e diversos detalhes didáticos da requalificação, como o tempo de ‘cura’ do cimento usado numa rua com pavimentação nova, cerca de quatro semanas.

Ela disse ainda que o primeiro trecho aberto para instalar a rede de drenagem pluvial e o embutimento de rede telefônica – entre o supermercado Ki-Barato e a orla ribeirinha – será reaberto ao trânsito na primeira semana de junho. A conclusão dos trabalhos está prevista para novembro.

A audiência transmitida em tempo real pela internet no portal da CMP (www.camarapenedo.al.org.br) foi prestigiada por vereadores e também contou a com a presença de representantes da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e do Sindlojas Penedo. Na assistência, estudantes da Escola Estadual Dr. Alcides Andrade também prestigiaram a exposição organizada pela Câmara de Vereadores.

Texto e foto: Fernando Vinícius – jornalista MTB 837/AL