Na primeira reunião ordinária da Câmara Municipal de Penedo, que aconteceu nesta última quinta-feira, 02 de fevereiro, o Vereador Derivan Thomaz usou a tribuna da Casa de Leis Penedense para primeiramente agradecer os votos de confiança que fizeram com que o parlamentar pudesse retornar aos trabalhos legislativos por mais quatro anos.

“Quero agradecer a todos aqueles que acreditaram no meu trabalho (…) Meu compromisso é de continuar contribuindo para gerar oportunidade e melhorar a vida dos penedenses e principalmente das pessoas dos povoados. ” Disse Derivan.

Em um segundo momento, o parlamentar fez questão de explanar sobre a sua primeira ideia, que foi o do adiamento da sessão passada que tratava justamente da previdência dos servidores municipais de Penedo. Derivan ressaltou que sua ideia seria de discutir melhor sobre o conteúdo de todo o projeto, de como se daria na vida dos servidores, para que participassem do debate.

O parlamentar fez questão de frisar também sobre seu trabalho sindical, o qual segundo ele, vem trabalhando e defendendo servidores há muitos anos. Porém, o edil explanou que irá analisar o Projeto de Lei que cria o regime de Previdência Própria como um servidor que é:

“Eu como servidor, agora, vou analisar o que é também melhor pra mim como servidor. Que se a decisão de votar a favor para mim, Derivan Técnico em Radiologia, eu votarei a favor. Se para mim, Derivan Técnico em Radiologia, for melhor contra, eu votarei contra. A coletividade é importante, muito não é pouco não, mas minha avó tinha um discurso que ‘Quando muito se abaixa, a bunda aparece’, e eu tive muitas oportunidades de sentir o que o servidor entendia da minha postura. Fui Delegado Sindical, corri em todos os postos na U.E, briguei para insalubridade e consegui arduamente em reunião no Ginásio P.E. Manoel Vieira (…) aí os serviçais na assembleia disseram: ‘Ninguém luta pela minha classe’, e eu disse, aí eu vou lutar! E os serviçais da Unidade de Saúde também passaram a receber insalubridade. ” Ressaltou Derivan.

O vereador então começou a falar um resumo sobre sua vida sindical onde lembrou de sua passagem como eleito a Vice-Presidente na chapa onde o presidente Dr. Francisco Sousa Guerra foi reeleito.  Então o parlamentar acreditava que seria um sucessor natural, pois além de vice, seu trabalho era contínuo em prol dos servidores.

“O servidor não me aceitou como presidente, achou que eu não faria um papel bom como presidente dos servidores públicos, elegendo a Sandra. No dia seguinte fui à rádio e liguei para dizer que os servidores não se desfilassem(…) E aí houve um atropelo administrativo e veio outra eleição. Não votei porque estava em Brasília buscando emendas(…) e não votei, mas apoiava Mário Alexandre e Anselmo, que também não foi atendido…. e vim andando.” Disse Derivan.

O pleito eleitoral também foi citado pelo parlamentar que lembrou sempre começar seu mandato como bancada de situação, mas devido a sua defesa aos servidores, terminava como oposição ao governo. Chegando próximo as eleições, Derivan então acreditava que todo o seu trabalho para com a classe seria reconhecido neste último pleito, mas segundo ele não aconteceu.

Voltando sobre a previdência, Derivan Thomaz explanou que encontrou no projeto falta de informação, como por exemplo a ausência do cálculo atuarial. Diante disso, e por ser convidado a ser líder da bancada do governo, o vereador então pediu uma reunião com o Presidente da Câmara, Júnior do Tó, e também com o Prefeito de Penedo, Marcius Beltrão, requerendo assim que fosse contratada uma consultoria especializada sobre o assunto para organização de todo o projeto de lei e também que tivesse a capacidade de discutir com o servidor. Após isso, foi contratado outro consultor, onde Derivan teve boas informações sobre o histórico e as ações do mesmo, e agora sim está sendo estudado todo o estatuto do servidor, como também o cálculo atuarial, e toda grade jurídica. Ele também indicou que fosse colocada uma cadeira cativa para o sindicato, afim de dar mais transparência.

Diante de todos esses fatos, Derivan acredita que após a conclusão de todos esses estudos e debates com os servidores,  o projeto possa ser apresentado de forma justa e digna para todos.