As portarias da Secretaria Municipal de Educação suspendendo contrato de todo o pessoal aprovado em processo seletivo (professores, merendeiras, cuidadoras e serviços gerais) até “a solução do movimento grevista”, conforme consta nos documentos, é um “golpe baixo” da Prefeitura de Penedo contra a greve dos servidores da Semed.

A avaliação é do Vereador Ronaldo Vicente, feita durante a sessão realizada na Câmara Municipal de Penedo na última quarta-feira, 03. Professor efetivo da Semed, ele recebeu a informação após ter declarado seu apoio ao movimento grevista durante discurso na tribuna, pronunciamento incisivo contra a forma como o Poder Executivo lida com a categoria e a população penedense, tratadas com distanciamento e desprezo, segundo o edil.

Ronaldo Vicente criticou ainda declarações em redes sociais e na imprensa do Secretário de Governo Josué Marques (Bili Marques) por atacar, de forma indireta, os professores em greve. O Vereador disse ainda que o Prefeito Március Beltrão teve tempo suficiente para responder às reivindicações da categoria, citando ofícios encaminhados pelo Sindspem com praticamente a mesma pauta desde janeiro do ano passado.

“O Poder Executivo não tem demonstrado interesse em resolver as questões, disse apenas que se a greve fosse iniciada, a negociação seria fechada”, afirmou Ronaldo Vicente ao exigir a apresentação de alguma proposta por parte da Prefeitura de Penedo.

Na forma de requerimento, o Vereador solicitou a construção de banheiros na Escola Douglas Apratto Tenório, unidade cujo mutirão deflagrado pela Semed não concluiu os serviços. Com a greve, o gestor da pasta poderia concluir os trabalhos. Em relação à requalificação do Largo São Gonçalo, Vicente requereu planejamento por etapas para minimizar o caos atual no Centro Histórico de Penedo.