A solução para a greve dos servidores da Saúde em Penedo depende da abertura de diálogo entre o Poder Executivo e o pessoal que aderiu a paralisação. Para tentar um acordo, os vereadores decidiram solicitar agendamento de encontro que reunirá parlamentares, o Prefeito Március Beltrão, representantes do Sindspem (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Penedo) e dos funcionários da Secretaria Municipal de Saúde.

O pedido do encontro ocorreu nesta segunda-feira, 22 de dezembro, durante reunião extraordinária da Câmara Municipal de Penedo (CMP). Apesar dos projetos em pauta, a Mesa Diretora abriu a tribuna parlamentar para a exposição de motivos dos servidores.

Escolhida para fazer um breve pronunciamento, a enfermeira Verônica Lopes reclamou da falta de condições de trabalho nos postos de saúde, alguns sem serviço odontológico há 4, 5 meses por falta de material ou equipamento. O descumprimento do acordo para quitar salários atrasados de 2012 e o não pagamento do 13º salário deste ano também foram citados, assim como o corte na gratificação do pessoal de nível superior do PSF, menos 25% em novembro e redução de 50% em dezembro.

Grevistas perseguidos

Verônica Lopes disse ainda os médicos cubanos estão seguindo rodízio nos postos e que os grevistas estão sendo perseguidos, inclusive com anotação de falta desde o início da paralisação, desrespeitando assim o direito de greve dos trabalhadores. A médica Ana Fernanda também falou na tribuna, criticando o descaso da gestão atual com os serviços prestados na área de saúde.

Ela relatou o caso de um paciente encaminhado para Coruripe por conta de um problema que antes era resolvido em Penedo. “Tiraram todas as referências daqui, agora é tudo encaminhado para Coruripe, Arapiraca ou Maceió, gastando mais com combustível, transporte”. A médica também afirmou ser impossível continuar em Penedo recebendo apenas os vencimentos do município, R$ 3.500,00. “Se tirarem o complemento do governo federal, que é maior do que o salário da prefeitura, não tem médico que continue no PSF de Penedo”, alertou Ana Fernanda.

Mais de 20 milhões só do governo federal

Indicado para presidir a sessão por ter feito a solicitação do pessoal da área de saúde à Mesa Diretora, o vereador Raimundo Jorge Rosário Souza (Dr. Raimundo), destacou que a Câmara sempre esteve e estará ao lado dos servidores. Ele citou a intermediação do Poder Legislativo nas questões entre a Prefeitura e o Sindspem, comentando em seguida que falta até ficha ambulatorial nos postos de saúde do município, um exemplo que comprova a má gestão na pasta que, igualmente a prefeitura, não presta contas das verbas que recebe, mais de 20 milhões só do governo federal para a saúde municipal em 2014, montante repassado de janeiro a outubro.

Já o vereador Ronaldo Vicente disse que os depoimentos das servidoras no plenário traduzem exatamente os reclames da população, queixas feitas aos vereadores diariamente. A insatisfação é ainda maior por conta do silêncio da administração, alheia às tentativas de diálogo por parte do Sindspem. “É um desrespeito com os servidores e também com a população”, comentando a decepção do povo carente que comemorou a vitória de Március Beltrão e agora é o que mais sofre as consequências do desastre administrativo do atual gestor.

“Preste contas”

Evaldo dos Santos Monteiro (Valdinho Monteiro) fez um desafio à Secretária de Saúde Vera Costa e ao prefeito Március Beltrão: “se há dificuldade financeira no município, então prestem contas!”. Encerrando seu segundo ano, a atual administração não realizou sequer uma audiência pública na Câmara para apresentar o uso das verbas públicas, descumprindo a legislação que determina a realização do ato a cada quatro meses.

Valdinho Monteiro lembrou da promessa feita por Vera Costa durante reunião com enfermeiras do PSF de Penedo, encontro realizado em 2013 para discutir a redução na gratificação da categoria. Durante o debate sobre o tema, além da insistência no ‘discurso político’, jogando a culpa na gestão passada, a Secretária Municipal de Saúde prometeu que faria prestação de contas no plenário da CMP da pasta que administra, o que nunca ocorreu.

Sessão CMP 22dez2014 - Fernando VinÃ-cius (1)

Mentiras

Cansado de mentiras e promessas não cumpridas, conforme declarou, o vereador Derivan Thomaz disse que não participa mais de reuniões com o prefeito Március Beltrão. Para exemplificar o descaso só na área de saúde, ele disse que uma criança de 3 anos vítima de descarga elétrica foi levada semana passada pela família para a UPA. Ao tentar reanima-la, o médico se viu impossibilitado de tentar salvar uma vida porque o desfibrilador não funcionou.

Para combater o descaso da administração, Derivan Thomaz sugeriu que os servidores filiem-se ao Sindspem, fortaleçam as ações sindicais porque a falta de mobilização e de atuação do funcionalismo só favorece aos que não tem compromisso com o povo. Ele também afirmou que os vereadores continuam apoiando a causa dos funcionários da prefeitura, alertando por fim para o descumprimento das metas estabelecidas nos programas do Ministério da Saúde porque a atual gestão não demonstra interesse em dialogar sobre a greve.

Texto e fotos – Fernando Vinícius – jornalista MTB/AL 837