Débito é parte da “herança maldita” deixada por Toledo e Saldanha

O Vereador Cidoca (Alcides de Andrade Neto) denunciou na tribuna da Câmara Municipal de Penedo (CMP) durante a sessão desta quinta-feira, 15, o débito deixado na Prefeitura de Penedo pela administração Alexandre Toledo/Israel Saldanha. Com base em documentos que atestam a cobrança da distribuidora de medicamentos Comercial Cirúrgica Rioclarense, o parlamentar e atual presidente da CMP fez duras críticas aos ex-gestores pelos prejuízos causados à população.

Os dados que constam na execução da dívida por meio de cartório relacionam 29 números de notas fiscais, empenhos que não teriam sido pagos pela gestão passada a partir de novembro de 2011. Na mesma documentação, a empresa com sede em Rio Claro-SP alega que manteve a entrega de medicamentos, mesmo sem receber pelo serviço durante mais de um ano. A documentação também anexa um comunicado da distribuidora para a Prefeitura de Penedo, datado de 19 de dezembro de 2012, no qual a Rioclarense informa a suspensão do serviço e cobra o débito cujo valor não consta na documentação.

Não consta no ‘restos a pagar’

Indignado, o Vereador Cidoca acrescentou ainda que a dívida deixada pela gestão anterior não consta no ‘restos a pagar’ que toda administração declara, de forma oficial, ao término de cada mandato. “A Prefeitura deveu, não pagou e não colocou nos restos a pagar. Quem faz isso é caloteiro”, declarou o parlamentar. “Tem pessoa que não quer enxergar que a gestão passada quebrou a Prefeitura de Penedo”, acrescentou Cidoca, fundamentado em declaração de Israel Saldanha durante sua posse como prefeito em abril de 2010, solenidade realizada no plenário da CMP.

Cidoca também destacou em seu discurso o empenho do atual Prefeito Március Beltrão e que será um opositor dos adversários da gestão que recebeu uma “herança maldita”, expressão que classifica os problemas encontrados na Prefeitura a partir de 2013. Vereador membro da bancada de governo, Cidoca destacou que a folha de novembro de 2012 já foi paga pela atual gestão e que muitos das falhas encontradas atualmente em Penedo também são reflexo da má gestão de Alexandre Toledo e Israel Saldanha.