o vereador apresentou Projeto de Lei que restringe datas e horário para que o SAAE efetive o corte de água em imóveis em débito com a autarquia municipal. Amparada no Código de Defesa do Consumidor, a proposta aprovada por unanimidade determina ainda que o dono ou inquilino precisa assinar notificação para ter o fornecimento suspenso, medida a ser aplicada somente após 72 horas da assinatura do aviso sobre o corte.

Em relação ao tratamento dispensado por alguns secretários aos vereadores, Júnior do Tó disse que não aceita a falta de respeito praticada por determinados membros do primeiro escalão de governo e parabenizou o colega de bancada (Marcelo Pereira) pelo discurso. “Se tem secretário em campanha política, já pensando nos vereadores como adversários, ele tem que repensar, descer do palanque e voltar a trabalhar na sua secretaria”, disse o ex-líder da bancada de situação.

Júnior do Tó falou ainda que o município tem investido em projetos que irão melhorar a mobilidade da população, citando o custo de cerca de R$ 500 mil com processos burocráticos e mais de um milhão de reais com desapropriações. Ele declarou também que a prestação de contas da prefeitura na Câmara já deveria ter sido feita e que a bancada de situação não se omite, cobrando a obrigação do governo por meio de requerimento, assim como fazem os demais vereadores.

Na forma de requerimento, atendendo pedido dos moradores da Travessa da Rua Nova, Júnior do Tó solicitou a construção de redutores de velocidade na referida via.