O vereador e presidente da Câmara Municipal de Penedo (CMP), Alcides de Andrade Neto (Cidoca), rebateu as críticas feitas à gestão Március Beltrão durante a sessão de quinta-feira, 31 de outubro. Ele disse que o atual prefeito encontrou uma “casa desarrumada” e que o trabalho de recuperação que tem sido feito atualmente no município começou a partir do “alicerce”.

A comparação entre os dez meses da administração e a construção de um imóvel explica a impossibilidade de se resolver imediatamente questões como falta de ambulâncias. Cidoca frisou que o governo passado recebeu uma frota nova e a entregou sem condições de uso. Ele também citou os débitos com fornecedores gerados no período Alexandre Toledo/Israel Saldanha e o atraso na folha do funcionalismo, exemplos da chamada “herança maldita”.

“Coisas ruins”

Ao seu devido tempo, “as coisas ruins” da administração anterior está sendo resolvidas, exemplificando com o calendário de pagamento dos salários que não foram pagos por Israel Saldanha, e a retomada do fornecimento de remédios por empresa que não recebeu da gestão anterior, dívida renegociada em 2013. Cidoca voltou a destacar que a prefeitura de Penedo estava “quebrada” desde abril de 2010, conforme declarou Saldanha ao assumir o cargo de prefeito, ato realizado na Sala das Sessões Sabino Romariz.

“Consertar uma casa desarrumada como era a prefeitura de Penedo leva tempo e dez meses é muito pouco para ter tudo isso resolvido”, afirmou Cidoca, declarando seu apoio ao gestor e elogiando os avanços alcançados na área de saúde (chegada de médicos, retomada de serviços, disponibilização de medicamentos).

Em meio às polêmicas geradas no plenário por conta de suas declarações, Cidoca frisou que algumas obras feitas na zona rural de Penedo (ponte e estradas) foram realizadas pelo deputado estadual Joãozinho Pereira, prova da incapacidade da gestão passada em oferecer serviços de qualidade à população do município.