o vereador retomou a discussão sobre a necessidade de se ordenar o trânsito de veículos em Penedo, assunto que é uma de suas preocupações e ainda sem solução, independente da gestão passada ou atual. O tema também remete a outro ponto que é recorrente na pauta do parlamentar, um dos mais experientes da atual legislatura na Câmara Municipal de Penedo, crítico contundente da falta de continuidade de ações entre governos.

A relação entre o abandono do que foi iniciado pela gestão anterior com o caos no trânsito penedense está na paralisação do processo de municipalização do trânsito. Além de assegurar maior autonomia administrativa na gestão do setor, a criação de uma Secretaria de Transporte e Trânsito gera recursos próprios para o município, um incremento de receita que não pode ser desprezado.

A sinalização vertical e horizontal em Penedo é falha ou inexistente, um dos problemas crônicos do trânsito local. Outro ponto negativo, gerado pela mudança que tornou as avenidas Wanderley e Engenheiro Joaquim Gonçalves ‘mão única’, é a ausência de planejamento para o tráfego nas transversais entre as duas pistas.

O despreparo dos agentes de trânsito também foi citado por Messias da Filó que pediu a instalação de abrigos nos pontos dos ônibus, cobertos e com altura suficiente para facilitar o acesso do passageiro ao veículo, citando o constrangimento das senhoras e idosos que dependem do transporte coletivo, o esforço feito para subir no ônibus.

Como a solução de todos esses problemas dependem de estudos específicos e detalhados, algo que a assessoria do prefeito Március Beltrão não parece capaz de apresentar, conforme avaliou, Messias da Filó disse que tem um projeto para o trânsito de Penedo e se dispôs a colaborar.