A demolição do Pavilhão do Artesanato foi criticada pelo Vereador Cidoca (Alcides Andrade Neto) na Câmara Municipal de Penedo nesta quinta-feira, 22. Adicionado às intervenções feitas na orla ribeirinha nos últimos 20 anos, o fato reforça uma característica recente de Penedo, agora também conhecida como a “cidade que destrói o que constrói”, segundo Cidoca.

“Já que foi feito não poderia derrubar”, afirmou ao abordar o desperdício de recursos públicos já denunciado em pronunciamentos anteriores, referindo-se à derrubada da estrutura erguida para atender pequenos comerciantes novamente expulsos do local onde trabalhavam. A repetição de serviços na orla ribeirinha também foi mencionada pelo parlamentar.

Cidoca falou ainda sobre a “bagunça” em que Penedo se encontra, desde os acessos à cidade até o porto das balsas, referindo-se à precariedade da iluminação pública e dos serviços de limpeza urbana. Ele também abordou a greve na rede municipal de Educação, criticando o comportamento do Prefeito Március Beltrão em relação ao problema que poderia ter sido resolvido após a audiência pública promovida pela Câmara de Vereadores.

“O prefeito não tem o amadurecimento necessário para administrar Penedo”, afirmou Cidoca após comentar as atitudes do gestor, criticando ainda o Secretário Municipal de Educação Luciano Lucena. O gestor da pasta que está economizando recursos com a greve sequer deveria estará recebendo salário por conta da paralisação, segundo o parlamentar.

O Vereador falou ainda sobre a Unidade de Beneficiamento de Pescado que nunca funcionou, apesar da obra entregue há mais de 8 anos; da ampliação e reforma do Aeroporto Freitas Melro, projeto que, de concreto, limitou-se à expulsão da famílias do entorno da pista em 2010; do Distrito Industrial ainda sem empresas instaladas e dos investimentos que fez quando Presidente da Câmara Municipal de Penedo na sede do Poder Legislativo.