A Câmara Municipal de Penedo (CMP) aprovou o anteprojeto de lei enviado pelo Poder Executivo a respeito do reajuste salarial para professores. A matéria protocolada na Secretaria da CMP na sexta-feira, 23, estabelece 7% de aumento para a categoria, sem pagamento retroativo à data-base (02 de maio).

Analisada e votada durante sessão extraordinária realizada na tarde desta segunda-feira, 26, o anteprojeto foi criticado por excluir o pagamento do retroativo. “O valor do retroativo não é absurdo, dá sim para pagar. Todo mundo sabe e está claro que quem botou obstáculo desde o início foi o prefeito. O retroativo sempre foi pago em Penedo, a questão de agora é inédita”, afirmou Vereador Ronaldo Vicente, ressaltando que as demais categorias não receberam nenhum tipo de melhoria salarial.

O Vereador Antônio Nélson Oliveira de Azevedo Filho (Nelsinho) também criticou fortemente o gestor municipal. “Os professores de Penedo nunca foram tão humilhados, desprezados e maltratados”, tratamento motivado por “deficiência de caráter” do Prefeito Március Beltrão, conforme declarou. “Quando se pronuncia, o prefeito fala que o sindicato quer complicar e politizar a questão quando é justamente o contrário”, acrescentou Nelsinho.

Lúcia Barbosa reafirmou seu apoio ao movimento grevista e declarou que a situação não teria alcançado praticamente 5 meses de greve se “as pessoas se colocassem no lugar das mães de família” que estão com os filhos sem ir à escola. “Os funcionários deste município são o seu patrimônio, mas acho que isso está um pouco esquecido”, avaliou.

Em tom de desabafo, Messias da Filó (Manoel Messias Lima) não vê perspectivas de melhoras para o funcionalismo público municipal enquanto não houver uma “solução definitiva por meio de planejamento exequível”. O experiente Vereador comentou questões relativas ao rendimento do servidor público que trabalha insatisfeito porque recebe salário abaixo do merecido, apesar da disponibilidade financeira.

“Dinheiro não falta, em lugar nenhum! O que falta é gestão, o que falta é compromisso!”, reclamou o parlamentar, acrescentando que existem categoria de funcionários do município que “não dá um dia de serviço”, contraste com a maioria dos cerca de 1.800 servidores efetivos da Prefeitura de Penedo que amargam, desde 2009, ausência de ganho salarial real.

Encerrando os pronunciamentos, o Presidente da Câmara Municipal de Penedo, Vereador Antônio de Figueiredo Barbosa Júnior (Júnior), disse que o acompanhamento dos repasses de recursos para a Educação apontam para a viabilidade de atender o pagamento do retroativo e que os colegas parlamentares cumpriram com o dever que lhes cabe.

Antes de encerrar a sessão extraordinária, Júnior do Tó parabenizou a Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Penedo (Sindspem), Ana Flávia Teixeira, pela habilidade que tem demonstrado à frente da instituição, desejando boa sorte na condução da assembleia geral convocada pelo sindicato para a tarde desta terça-feira, 27.

A Câmara Municipal de Penedo volta a se reunir, em sessão ordinária, na próxima quinta-feira, 29, a partir das 14h30 no auditório da Casa de Aposentadoria. Antes disso, recebe na manhã desta terça-feira, 27, a Secretária Municipal de Saúde, Vera Costa, que fará a prestação quadrimestral de receitas e despesas da pasta em audiência pública, ato previsto em lei.