Por intermediação da Câmara Municipal de Penedo (CMP), Prefeitura e Sindicatos dos Servidores Públicos Municipais (Sindspem) retomaram o diálogo sobre a greve dos trabalhadores da Educação. A busca pelo entendimento ocorreu na manhã desta sexta-feira, 12, dia seguinte ao pedido de intervenção feito aos vereadores por funcionários e sindicalistas.

Reunidos na sede do Poder do Executivo, parlamentares da CMP, representantes do governo municipal, do Sindspem e dos trabalhadores em greve voltaram a conversar sobre o movimento deflagrado em 29 de maio.

Os grevistas reivindicam aplicação dos 13,1% determinados pela União no piso do magistério e outros pontos de uma pauta de solicitações encaminhada ao Poder Executivo e Secretaria Municipal de Educação desde o início de 2014, conforme consta em cópia de ofícios apresentados na reunião.

Comunicado sobre o indicativo da greve, o Prefeito Március Beltrão havia solicitado 15 dias para apresentar estudo de impacto na folha de pessoal com a equiparação salarial.

Apesar do fim do prazo pedido pelo Poder Executivo, o gestor alegou no encontro que as projeções são complexas e feitas individualmente, cálculos para mais de 400 professores efetivos. Március Beltrão disse ainda que o estudo feito por especialista ainda não está concluído, mas será apresentado à categoria na próxima semana, em data a ser definida pelo autor do trabalho cujo nome não foi revelado na reunião.

O Prefeito de Penedo recebeu ainda um ofício da Câmara Municipal de Penedo, documento encaminhado pelo Sindspem aos vereadores penedenses que solicita o atendimento das reivindicações dos trabalhadores da Educação. O movimento que luta por direitos e causas justas tem apoio integral de todos os parlamentares penedenses.

Texto e fotos Fernando Vinícius – jornalista MTB 837/AL