Para o experiente parlamentar, o caos de hoje é resultado de duas décadas de uso indevido dos recursos da Previdência Social, alerta que faz há tempos na Câmara Municipal de Penedo.

Sem planejamento, Penedo chega aos 379 anos de elevação da condição de povoado para vila – data que comemora no próximo domingo, 12 – tão maltratada quanto o Rio São Francisco, “parceiro número um do município”, como destacou. A crítica é centrada nas três grandes intervenções realizadas somente na orla de Penedo nos últimos vinte anos, exemplos de desperdício de recursos por conta de serviços feitos e destruídos pela máquina pública.

“Além da desorganização, nós não vamos resolver o problema porque vão quebrar de novo!”, afirmou Messias da Filó ao comentar a necessidade de novos serviços se for para fazer saneamento básico. Hoje, os serviços na orla são apenas para instalação de nova rede de drenagem de águas pluviais.