Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) residentes em Penedo voltaram a enfrentar filas para tentar conseguir uma consulta ou marcar um exame. Além da espera por horas que nem sempre tem o fim esperado, os pacientes estão madrugando nos postos e na sede da Secretaria Municipal de Saúde, segundo denúncia do vereador Ronaldo Vicente.

Um dos membros da comissão de vereadores que esteve na unidade do PSF situada no Bairro Santo Antônio (Barro Vermelho), Ronaldo Vicente disse que estão sendo distribuídas apenas 12 fichas por dia para atendimento ao público, quantidade insuficiente para a demanda, conforme reclames da população. O parlamentar criticou ainda a manutenção do corte das gratificações dos profissionais do PSF e também da falta de condições de trabalho para todas as categorias.

Ele também reclamou sobre o “caos” que tomou contou da orla ribeirinha, onde foi criando um “verdadeiro labirinto” para o tráfego de veículos, retrato do “abandono geral” e da “falta de comando” que tomaram conta de Penedo, conforme avaliação do parlamentar. Vicente afirmou ainda que os vereadores cumprem seu papel, ainda que a população não tenha essa compreensão, mesmo recebendo assistência em casos que são de responsabilidade da Poder Executivo.

Por fim, o líder do bloco de oposição lamentou por Penedo não ter o que comemorar no aniversário de 379 anos da passagem da condição de povoado para vila, encerrando seu discurso na sessão de 16 de abril com agradecimento à receptividade do deputado estadual Inácio Loiola em relação aos problemas decorrentes da municipalização do ensino em Penedo, processo articulado entre os governos estadual e municipal.

Na forma de requerimento, Ronaldo Vicente pede solução para a falta de climatização nas salas de aula da Escola Municipal Vereador Manoel Soares. Além do calor, estudantes e professores reclamam em abaixo-assinado encaminhado à Câmara o risco de doenças provocadas pelo pó que solta do piso das classes. Neste caso, a solução é aplicação de resina sobre o revestimento em granito.