Criadores de gado em Penedo já podem adquirir milho da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) por preço mais barato do que o praticado no mercado. A medida que visa combater perdas no rebanho bovino no município ribeirinho foi anunciada pelo vereador Cidoca (Alcides de Andrade Neto/PSD) na tribuna da Câmara Municipal de Penedo nesta quinta-feira, 21 de março.

O convênio assinado entre a Conab/AL e a prefeitura de Penedo, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, barateia custos para todas as categorias de pecuaristas. Quem tem rebanho com até 50 animais poderá adquirir um saco de 50 quilos de milho por R$ 18,12, valor bem abaixo dos R$ 55,00 cobrados atualmente no mercado. Os pequenos produtores poderão comprar até sete toneladas do grão disponível no estoque da Conab.

Milho mais barato

Para os pecuaristas quem criam até 100 animais, o preço do saco de 50 kg. de milho será de R$ 24,00, menos da metade do preço praticado nas lojas do ramo. Para essa categoria, o limite de quantidade a ser adquirido é até 12 toneladas. Pecuaristas com rebanho acima de 100 animais pagarão R$ 28,00 pelo saco de 50 kg. de milho e poderão comprar até 18 toneladas do grão. Ainda segundo o vereador Cidoca, a fiscalização para impedir a revenda do milho da Conab será de responsabilidade da Secretaria Municipal de Agricultura.

“Tenho certeza que esse convênio será muito importante, não só nesse momento de seca que também chegou em Penedo, mas também para todo o resto do ano e para os próximos também”, destacou o Presidente da Câmara Municipal de Penedo sobre a medida que pode salvar o gado do risco de morte causada por falta de alimentação. Cidoca acrescentou ainda que não houve qualquer restrição a Penedo por parte da superintendência estadual da Conab.

Ponte e royalties

Sobre a viagem feita à Brasília para participar de evento promovido pela UVEAL (União dos Vereadores de Alagoas), Cidoca aproveitou a oportunidade para iniciar um processo de mobilização que interessa aos demais municípios ribeirinhos, inclusive os de Sergipe. Ele propôs a discussão dos royalties da Chesf e a construção da ponte entre Alagoas e o estado vizinho em ponto diferente ao que deseja o governo sergipano.

Enquanto a proposta do governador Marcelo Deda (PT) pretende levar as cabeceiras da estrutura para Brejo Grande (SE) e Piaçabuçu (AL), Cidoca afirma que a ponte deve ser erguida entre Penedo (AL) e Neópolis (SE). Além de reduzir os custos da obra, considerando que a distância entre as margens na proposta do vereador é menor, a sugestão do governo sergipano esbarra em duas Áreas de Proteção Ambiental, uma do lado alagoano e a outra situada em Sergipe.

Recursos para investimentos

Cidoca também se ampara em projeto com impacto ambiental realizado, estudo disponível no DER/AL para a ponte entre Penedo e Neópolis, proposta de autoria do deputado João Caldas que teve cópia entregue ao então vice-presidente da República José de Alencar durante visita a Penedo. O vereador penedense também lidera um movimento de redistribuição dos royalties da Chesf para os municípios ribeirinhos situados abaixo das hidrelétricas.

Com apoio do deputado federal Renan Calheiros Filho, o Renanzinho, Cidoca convocará os demais vereadores das cidades do Baixo São Francisco de Alagoas e de Sergipe para cobrar da Chesf compensação financeira pelos danos decorrentes dos impactos causados por obras da companhia estatal. A Chesf teria ainda um saldo de cinco bilhões de reais para custear investimentos, valor que pode ser pleiteados pelo movimento que unirá as bancadas dos parlamentares de Alagoas e de Sergipe em encontro que Cidoca planeja realizar em Penedo.

O Presidente da CMP esclareceu ainda que os custos com passagens e hospedagem da viagem à Brasília foram pagos com recursos próprios dos quatro parlamentares penedenses que estiveram na capital federal, com diária da Câmara para alimentação, conforme diz o regimento da Casa.